1. A vacina da gripe. A Anvisa já determinou, no final do ano passado, como deve ser a composição da nova vacina da gripe para este ano de 2016. A quadrivalente deve conter vírus equivalentes ao Influenza A (H1N1- chamada também de suína), ao Influenza A ( H3N2) e contra 2 vírus Influenza B. A trivalente terá só um tipo de Influenza B. Estas vacinas devem estar nas redes públicas e privadas a partir de abril. Fiquem ligados. Crianças a partir de 6 meses de idade já podem receber esta vacina. Na rede pública podem se vacinar gratuitamente crianças de 6 meses a 5 anos, pessoas com mais de 60 anos, gestantes ou quem deu à luz nos últimos 45 dias, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis (cardíacas, renais, neurológicas, respiratórias, hepáticas, diabéticos, obesos, imunossuprimidos e transplantados) povos indígenas, profissionais de saúde e do sistema prisional e pessoas institucionalizadas.

2. Ventilem os ambientes em que vocês estiverem. Pode parecer simples, um pouco óbvio, mas isso é muito importante e muitos esquecem de abrir as janelas. Os vírus da gripe são adquiridos pelo ar. Por isso é importante ventilar o ambiente. Nesta época em que o Aedes voa livremente todos optam por fechar as janelas de casa, do trabalho e do transporte. Em casa e no trabalho o melhor é telar as janelas. O ar entra e sai e o Aedes fica do lado de fora. Em carros e ônibus em movimento, o Aedes não consegue entrar. Ventilem. Tomem vento. Melhor do que respirar os vírus da Influenza.

3. Lavem as mãos com frequência mais que triplicada. Os vírus da gripe podem também ser transmitidos por secreções que ficam nas mãos das pessoas. Por isso, lavem as mãos depois de tossir ou espirrar, usem lenços de papel descartáveis e evitem tocar as próprias mucosas do nariz, boca ou olhos depois de cumprimentar pessoas gripadas. Se estiver ao alcance, utilizem álcool gel com frequência.

Prevenir é sempre melhor do que ter que tratar depois.